Foco na notícia

MENU
Logo
Terça, 01 de dezembro de 2020

Futebol

Fluminense vence o Flamengo nos pênaltis e se sagra campeão da taça Rio

Partida foi marcada pela entrega do time tricolor

Imagem de capa

Imagens

A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Mesmo com o favoritismo do Flamengo, o Fluminense surpreendeu, bateu o arquirrival nos pênaltis e conquistou a Taça Rio, adiando a final do Campeonato Carioca. Nos pênaltis, por 3 a 2, o Tricolor ficou com o troféu do segundo turno e forçou a decisão estadual. Após o empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, com gols de Gilberto para o Flu, e Pedro para o Fla, o segundo turno do Carioca terminou nas penalidades.

Na marca de cal, mais igualdade: Nenê e Gabigol marcaram. Dodi parou em Diego Alves, e Muriel pegou a cobrança de Willian Arão. Na sequência, Léo Pereira bateu para fora e Hudson deixou o dele. O goleiro do Fla ainda defendeu chute de Michel Araújo, que ainda bateu no travessão e na linha, mas não entrou. No fim, Muriel foi o herói e pegou a cobrança do irritadiço Rafinha, mais preocupado em discutir que em jogar futebol na noite do Maracanã.

Flu começa melhor, Fla iguala no 2º tempo

Diferente do que costumamos ver em jogos do Flamengo, o time de Jorge Jesus não começou em um ritmo acima de seu adversário. Pelo contrário. Com maior posse de bola e apostando em lançamentos em profundidade nas costas da zaga rubro-negra, o Fluminense teve as melhores chances. Aos 23, Gilberto veio de trás e obrigou Diego Alves a fazer importante defesa em uma cabeçada. A essa altura, o Tricolor era melhor, e o Fla produzia muito pouco. Aos 35, em contra-ataque, Egídio avançou pela esquerda e colocou na área. Nenê chutou prensado e, na sobra, Yago tirou tinta da trave rubro-negra.

O placar, entretanto, seria alterado dois minutos depois. Aproveitando rebote, Egídio colocou na área, Marcos Paulo raspou e, quando a defesa do Fla marcou Matheus Ferraz, Gilberto se antecipou e cabeceou no cantinho de Diego Alves para abrir o placar. Na volta para a segunda etapa, o Flamengo, mais ligado, tentou equilibrar as ações. O Flu, com o peruano Fernando Pacheco na vaga de Evanílson, que sentiu desconforto na coxa, tentava os contra-ataques, com Marcos Paulo centralizado.

Aos 19, em boa trama do ataque do Fla, Gerson recebeu cruzamento de Filipe Luís e cabeceou para fora. Mas o Rubro-Negro não engatava bons momentos, muito por um Éverton Ribeiro muito mal no jogo, e também pela marcação bem encaixada do Flu. Aos 32, entretanto, a superioridade técnica do Fla fez a diferença. Filipe Luís avançou pela esquerda e colocou na cabeça de Pedro, que bem posicionado, deixou o seu no ex-clube, empatando o placar. Dali até o final, o Flamengo teve as melhores chances, mas não conseguiu converter a superioridade física em gols. Aos 49, no último lance, Hudson ganhou na área e cabeceou firme, mas Diego Alves impediu o gol.

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível