Foco na notícia

MENU
Logo
Segunda, 18 de janeiro de 2021

Importante

Festas em Trancoso em meio a pandemia

Mais jovens, mais ricos, mais brasileiros: esse foi o perfil dos turistas na virada do ano da covid

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Se este foi o verão da covid-19, Trancoso pode vir a ser o símbolo da aglomeração indevida nas comemorações do réveillon. Dependendo de quem a pessoa segue no feed do Instagram, ou simplesmente dos atalhos dos algoritmos, a impressão é a de que esse hotspot no sul da Bahia nunca esteve tão em alta, uma grande festa para a qual talvez só você não tenha sido convidado.

A verdade é que ninguém deveria ter sido convidado para essa festa, ou para essas festas, e a razão é óbvia. Tentou-se fazer eventos, é verdade, e a favor de Trancoso é preciso dizer que muitas baladas foram reprimidas. Nos dias anteriores à virada do ano, algumas comemorações sofreram batidas policiais, com os convivas sendo dispersados ainda com as flûtes nas mãos.

“As pessoas foram percebendo que era sério e muita gente acabou desmarcando a celebração do réveillon”, diz um empresário do interior de São Paulo, dono de uma pousada em Trancoso. A diferença na noite da virada, ele conta, é que desta vez o chamado Quadrado ficou lotado o tempo inteiro. “Nos outros anos, quando dava sete, oito horas da noite, todo mundo ia para casa se arrumar e ir para as festas.”

O Quadrado é uma grande área na qual a vida social de Trancoso acontece. Que ninguém se deixe enganar pelas pitorescas casas coloridas de lá. Por trás dessa aparente simplicidade estão sofisticados ateliês de arte e lojas de moda praia, bares e restaurantes estrelados, como o inventivo Uxuá, o mais caro do pedaço. No meio fica um grande campo de futebol e, ao fundo, a charmosa igreja São João Batista.

O Quadrado fica em uma espécie de platô, no alto. Para chegar às praias é preciso descer uma falésia e encarar uma caminhada. Os bares à beira-mar também estiveram lotados neste fim de ano, com muita gente sem máscara – o que não foi exclusividade do balneário baiano, vale a ressalva. E nem dos dias que antecederam o réveillon.

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível