Eunápolis

O CRENTE E AS FESTAS PROFANAS!

Por: Emerson Caetano |

Nos períodos festivos surge questionamento sobre o comportamento do cristão,  se pode ou não pode participar! Diante da situação em que a prefeita de Eunapolis, foi filmada dançando na noite de ontem, durante lançamento dos festejos comemorativos em alusão ao aniversário de Emancipação política do município e também detalhes sobre o retorno do Pedrão 2022, nos convém dizer algo sobre o assunto.

No questionamento se o crente pode ou não pode participar de festas profanas; ir à festa, dançar, fazer uso de bebidas alcóolicas, gostaria de ponderar sobre alguns aspectos desta questão:

Na verdade não é uma questão de poder ou não poder, é uma questão de decisão e de identidade cristã. Quando o Apóstolo Paulo respondeu aos cristãos de Corinto se podiam ou não participar das festas idólatras, das comidas sacrificadas aos ídolos que envolvia também um contexto semelhante ao que acontece em nossos dias, dentre as afirmações e orientações sobre o tema, gostaria de considerar algumas como resposta a este assunto:

Primeiro, a nossa liberdade deve ser limitada pelo zelo para não fazer tropeçar os mais novos na fé e pelo bom testemunho perante os que não professam a Fé Evangélica ou mesmo os que não acreditam em nada. É o que está em I Co.8:8-13. O crente deve ter sensibilidade e percepção espiritual a ponto de entender que tudo aquilo que vai causar escândalo, fazer alguém tropeçar na fé, se desviar, tem que ser evitado, ainda que lhe seja um direito – “... O cristão tem que ter controle de suas ações, domínio próprio e renunciar vontades carnais. Veja o que diz o Apóstolo Paulo: “Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado”(I Co.9:27).

Como é que uma pessoa vem à Igreja, toma o cálice da Santa Ceia que significa aliança no Sangue do Cordeiro e depois vai assentar-se numa mesa de cerveja, se embriagar, dançar músicas profanas, ser cúmplice nas obras das trevas? O texto sagrado diz que isso é provocar a Deus! O Apóstolo Paulo aponta os limites da liberdade cristã: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém, todas as coisas me são lícitas, mas nem todas edificam” (I Co.10:23).

O casal que tanto diz crer em papai do céu, não conhecem ou fingem desconhecer Princípios básicos da religião ao qual garantem pertencerem. Triste daqueles que se escondem atrás da Bíblia. 

 

 

 

Delta

Veja outras matérias