Eunápolis

Nota de repúdio à agressão sofrida pela jornalista Alinne Werneck por servidor público

Por: Ascom Ativa FM |

A Jornalista e Repórter Alinne Werneck, da emissora Ativa FM, foi agredida verbalmente e teve seu equipamento de trabalho danificado durante a sessão da câmara de vereadores na última quinta-feira 05/05/2022.

 Ao registrar imagens da sessão, a repórter foi chamada de "palhaça" e "vagabunda", entre outras ofensas. Ela também foi cercada no local pelos manifestantes pró-governo de Cordélia Torres, e se não fosse pela intervenção de professores a jornalista teria sido agredida por um funcionário público por nome Elias Gonçalves Rufino, conforme registrado pelos professores e alunos presentes no local. 

"Agora que você chega para filmar né? Esse povo “Professores” só querem dinheiro. Parabéns aos vereadores que aprovaram o projeto de Cordélia, vocês não vão conseguir no “tapetão” nem no grito. Você não tem vergonha na cara. Vocês são vendidos, vagabundos! A imprensa é que nem um cachorro, sempre atrás de comida. Fale seu nome! Você está a serviço de bandido. Disseram os manifestantes.

Um dos homens que agrediu verbalmente a jornalista já foi identificado. É o funcionário público Elias Gonçalves Rufino Rufino, ex arbitro de futebol, hoje, lotado na secretaria de casa civil.

No momento em que os manifestantes iniciaramm o cerco à jornalista, algumas pessoas questionaram sua presença no local da manifestação. Após a profissional responder aos questionamentos, afirmando que estava apenas trabalhando, o tom dos questionamento ganhou mais violência, que resultaram nas agressões verbais.

Uma das professoras que presenciou o fato, Dâmaris Vieira, ficou horrorizada com a barbárie, também esteve presente o jornalista Maxsuel que registrou o fato, o vereador Francis Gabriel. Vale ressaltar que o servidor público Elias Rufino está proibido de comparecer a outras sessões legislativas, em razão da sua agressividade e truculência.

"Não precisa dessa agressão, eu não agredi você em momento nenhum. Eu estou aqui trabalhando. Eu não tenho problema em dizer meu nome, eu me chamo Alinne.. Tô aqui a trabalho Não tô aqui brincando com ninguém". Afirmou a jornalista

NOTA DA ATIVA FM

“Infelizmente, nossa jornalista do ‘Voz ATIVA, Alinne Werneck, que tantas vezes denunciou os casos de violência contra a mulher, foi vítima de agressão na sessão da câmara (05/05) por um funcionário público da Prefeitura de Eunápolis.

 A Ativa FM recebeu a notícia com profunda indignação e esclarece que presta todo apoio necessário à profissional neste momento tão delicado”, reitera a emissora sobre o caso.

 Tais violações têm como objetivo intimidar e constranger os profissionais que realizam seu trabalho de levar informações à população, a fim de obstruir o trabalho da imprensa. Portanto, configuram flagrante violação a um pilar da democracia, a liberdade de imprensa. O ARTIGO 19 repudia veementemente as agressões ocorridas no ato de quinta-feira e espera que os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário sejam firmes em casos como esse, explicitando a defesa da liberdade de imprensa, da democracia e da pluralidade de visões e opiniões.

A equipe jornalística do Eunanews.com.br deixa aqui prestados os mais sinceros sentimentos à Alinne Werneck pelo ocorrido e repudia veementemente a atitude do funcionário público. Imprensa livre!

Delta

Veja outras matérias